link para página principal link para página principal
Brasília, 21 de setembro de 2019 - 06:10
Pesquisa de Jurisprudência Imprimir
Nova Pesquisa Volta à pesquisa consolidada Salvar
Decisões Monocráticas
Esta base contém apenas decisões selecionadas
  Documentos encontrados: 2
Expressão de busca: ((145.NUME. OU 145.DMS.)(RICARDO LEWANDOWSKI.NORL.))
Salvar Imprimir

ARE 753296 / SP - SÃO PAULO
RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO
Relator(a):  Min. RICARDO LEWANDOWSKI
Julgamento: 26/06/2013

Publicação

PROCESSO ELETRÔNICO
DJe-125 DIVULG 28/06/2013 PUBLIC 01/07/2013

Partes

RECTE.(S)           : NEWTON DE ALMEIDA PINHO
ADV.(A/S)           : CLEMENTE SALOMÃO OLIVEIRA FILHO
RECDO.(A/S)         : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO
PROC.(A/S)(ES)      : PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO
INTDO.(A/S)         : ELIZABETE DE ALMEIDA PINHO
ASSIST.(S)          : MILTON BONELLI
ADV.(A/S)           : MILTON BONELLI

Decisão

    Trata-se de agravo contra decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo que não admitiu recurso extraordinário criminal.
    No RE, interposto com base no art. 102, III, a, da Constituição Federal, alegou-se, em suma, violação aos arts. 5º, II, LIV e 93, IX, ambos da mesma Carta da República.
    O agravo é intempestivo. Isso porque, conforme a certidão constante à página 33 do volume eletrônico 12, a decisão agravada foi publicada em 9/1/2012 e o agravo foi interposto em 19/1/2012 (página 80 do volume eletrônico 12), após o quinquídio
recursal.
    Ressalto que, de acordo com a Súmula 699 desta Corte, o prazo para a interposição de agravo em processo penal é de cinco dias. No caso concreto, o termo final para a insurgência recursal se deu em 16/1/2012.
    Isso posto, nego seguimento ao recurso.
    Publique-se.
    Brasília, 26 de junho de 2013.
Ministro Ricardo Lewandowski
Relator

Legislação

LEG-FED   CF       ANO-1988
          ART-00005 INC-00002 INC-00054 ART-00093
          INC-00009 ART-00102 INC-00003 LET-A
          CF-1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL
LEG-FED   SUMSTF-000699
          SÚMULA DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - STF

Observação

29/07/2013
Legislação feita por:(DMP).

Decisões no mesmo sentido

ARE 750963 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-01/08/2013 UF-SP MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-150 DIVULG 02/08/2013 PUBLIC 05/08/2013
ARE 753253 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-15/07/2013 UF-*** MIN-MARCO AURÉLIO
      DJe-152 DIVULG 06/08/2013 PUBLIC 07/08/2013
ARE 755654 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-01/08/2013 UF-DF MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-150 DIVULG 02/08/2013 PUBLIC 05/08/2013
AI 799033
      JULG-27/05/2010 UF-RJ MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-101 DIVULG 04/06/2010 PUBLIC 07/06/2010
AI 800380
      JULG-02/08/2010 UF-PR MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-145 DIVULG 05/08/2010 PUBLIC 06/08/2010
ARE 989860 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-30/09/2016 UF-SE MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-211 DIVULG 03/10/2016 PUBLIC 04/10/2016
ARE 991013 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-30/09/2016 UF-SC MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-211 DIVULG 03/10/2016 PUBLIC 04/10/2016
ARE 1018195 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-01/02/2017 UF-MG MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-020 DIVULG 02/02/2017 PUBLIC 03/02/2017
ARE 1024829 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-21/02/2017 UF-PE MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-038 DIVULG 24/02/2017 PUBLIC 01/03/2017
ARE 1025028 PROCESSO ELETRÔNICO
      JULG-21/02/2017 UF-PR MIN-RICARDO LEWANDOWSKI
      DJe-037 DIVULG 23/02/2017 PUBLIC 24/02/2017

fim do documento



 
Salvar Imprimir

ADPF 145 / DF - DISTRITO FEDERAL
ARGÜIÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DE PRECEITO FUNDAMENTAL
Relator(a):  Min. RICARDO LEWANDOWSKI
Julgamento: 02/02/2009

Publicação

DJe-026 DIVULG 06/02/2009 PUBLIC 09/02/2009

Partes

ARGTE.(S): PRESIDENTE DA REPÚBLICA
ADV.(A/S): ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO

Decisão

 
Trata-se de arguição de descumprimento de preceito fundamental, com pedido de medida liminar, ajuizada pelo Presidente da República, em que se busca a declaração de inconstitucionalidade de decisões judiciais que autorizaram ou mantiveram penhora sobre
bens da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. ' RFFSA, com base em suposta lesão aos artigos 5º, caput, e 100 da Constituição.
 
   Alega o arguente, em síntese, que a RFFSA, hoje extinta, era sociedade de economia mista integrante da Administração Indireta do Governo Federal, criada por meio da Lei 3.115/57, pela consolidação de 18 ferrovias regionais. Aduz que em 1992 a RFFSA
foi incluída no Programa Nacional de Desestatização e dissolvida de acordo com o estabelecido no Decreto 3.277, de 7 de dezembro de 1999. Em janeiro de 2007, a citada rede ferroviária foi extinta pela MP 353 (convertida na Lei 11.483/2007), assumindo a
União com todos os ativos e passivos da empresa (fl. 4).
 
   Argumenta que ante o processo de extinção da RFFSA e a mudança de regime de direito privado para o regime de direito público, os seus bens deixaram de ser penhoráveis (fls. 4-5).
 
Afirma a inexistência de outro meio de índole objetiva apta a solucionar a controvérsia de modo definitivo e imediato (fls. 6-8).
 
Ressalta que há intenção de designar parte do acervo da extinta RFFSA a programas de habitação de interesse social, como forma de suprir a demanda por moradia entre as populações de baixa renda (fl. 19).
 
Pede a concessão de medida liminar, ad referendum do Tribunal Pleno para 'suspender o andamento dos processos e os efeitos das decisões judiciais que apresentem relação com a matéria objeto da presente arguição' (fl. 20).
 
No mérito, requer seja julgado procedente o pedido para reconhecer a existência de lesão a preceito fundamental e declarar a ilegitimidade e inconstitucionalidade das decisões judiciais que autorizaram ou mantiveram a penhora sobre bens da extinta
RFFSA, 'inclusive daquelas já transitadas em julgado' (fl. 21).
 
A Procuradoria-Geral da República, em parecer de fls. 137-140, manifestou-se pela extinção do processo sem julgamento de mérito.
 
É o breve relatório. Decido.
 
Nos termos do art. 1º, parágrafo único, da Lei 9.882/99, cabe a arg u ição de descumprimento de preceito fundamental para evitar ou reparar lesão a preceito fundamental, resultante de ato do Poder Público, também, quando for relevante o fundamento da
controvérsia constitucional sobre lei ou ato normativo federal, estadual ou municipal, inclusive anteriores à Constituição (normas pré-constitucionais).
 
A argüição de descumprimento de preceito fundamental configura instrumento de controle abstrato de constitucionalidade de normas, nos termos do art. 102, § 1º, da Constituição, combinado com o disposto na Lei 9.882, de 3 de dezembro 1999, que não pode
ser utilizado para a solução de casos concretos, nem tampouco para desbordar os caminhos recursais ordinários ou outras medidas processuais para afrontar atos tidos como ilegais ou abusivos.
 
Não se pode, com efeito, ampliar o alcance da ADPF, sob pena de transformá-la em verdadeiro sucedâneo ou substitutivo de recurso próprio, ajuizado diretamente perante o órgão máximo do Poder Judiciário.
 
Ademais, mesmo que superados tais óbices ao conhecimento da presente ação, cumpre recordar que o ajuizamento da ADPF rege-se pelo princípio da subsidiariedade, previsto no art. 4º, § 1º, da Lei 9.882/99, a significar que a admissibilidade desta ação
constitucional pressupõe a inexistência de qualquer outro meio juridicamente idôneo apto a sanar, com efetividade real, o estado de lesividade do ato impugnado (cf. ADPF 3/CE, Rel. Min. Sydney Sanches, ADPF 12/DF e 13/SP, ambas de relatoria do Min.
Ilmar Galvão, ADPF 129/DF, de minha relatoria).
 
Na espécie, verifico que a questão discutida nos autos refoge ao âmbito cognitivo da arguição de descumprimento de preceito fundamental ante a incidência do princípio da subsidiariedade bem como de questões infraconstitucionais.
 
Com efeito, a Lei 11.483/2007, que encerrou o processo de liquidação da RFFSA, e tratou da sucessão, por parte da União, de seus direitos e obrigações, já previu a instituição de dotações suficientes para o pagamento de despesas decorrentes de eventuais
levantamentos de gravames judiciais, in verbis:
 
'Art. 5º. Fica instituído, no âmbito do Ministério da Fazenda, o Fundo Contingente da Extinta RFFSA ' FC, de natureza contábil, em valor suficiente para o pagamento de:
(...)
III ' despesas decorrentes de eventuais levantamentos de gravames judiciais existentes em 22 de janeiro de 2007 incidentes sobre bens oriundos da extinta RFFSA, imprescindíveis à administração pública'.
 
De outro lado, como bem ressaltou a Procuradoria-Geral da República
 
'havendo amparo legal para a existência de penhoras sobre os bens da extinta RFFSA, questionar a constitucionalidade da manutenção de tais gravames significa, em última análise, pugnar pela declaração de inconstitucionalidade do próprio dispositivo, o
que considerado o princípio da subsidiariedade, não se cogita seja possível em sede de ADPF' (fl. 140).
 
Isso posto, não conheço da presente ação, ficando, destarte, prejudicada a apreciação do pedido de liminar.
 
Arquivem-se os autos.
 
Publique-se.
 
Brasília, 2 de fevereiro de 2009.
 
 
 
 
Ministro RICARDO LEWANDOWSKI
- Relator '
 
1
 

Legislação

LEG-FED   CF       ANO-1988
          ART-00005 "CAPUT" ART-00100 ART-00102
          PAR-00001
          CF-1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL
LEG-FED   LEI-003115      ANO-1957
          LEI ORDINÁRIA
LEG-FED   LEI-009882      ANO-1999
          ART-00001 PAR-ÚNICO ART-00004 PAR-00001
          LEI ORDINÁRIA
LEG-FED   LEI-011483      ANO-2007
          ART-00005 INC-00003
          LEI ORDINÁRIA
LEG-FED   MPR-000353      ANO-2007
          CONVERTIDA NA LEI-11483/2007
          MEDIDA PROVISÓRIA
LEG-FED   DEC-003277      ANO-1999
          DECRETO

Observação

Legislação feita por:(TCL).

fim do documento



 
 
Praça dos Três Poderes - Brasília - DF - CEP 70175-900 Telefone: 55.61.3217.3000 | Telefones Úteis | STF Push | Canais RSS
Seu navegador não suporta frames.